Y2k, Euphoria e devaneios…

Fala pessoal, tudo bem? Terminei hoje, o último episódio da segunda temporada de Euphoria e, percebi as fortes tendências da estética Y2k (Retorno aos anos 2000) com roupas coladas, umbigo de fora, glitters, cores, e uma proposta mais futurista afinal, estávamos prestes a sofrer o bug do milênio (virada histórica de 99 para 00).

Referências Pinterest

A série, aborda dramas da geração Z, galera que, já nasceu na era digital, carregam problemas bem atuais, como vazamentos de nudes e vídeos eróticos, alta exposição as informações instantâneas e, sofrem como todos nós, de ansiedade, tal qual, a era digital trouxe para todas as gerações.

 As crises se baseiam muito em relacionamentos mal resolvidos, entre pai e filho, marido e mulher, amizades e perdas, nada muito diferente do que temos vivido atualmente. E, trazem à tona a questão das drogas sintéticas, apresentada pela personagem principal Rue Bennett (Zendaya). O que vem de encontro com o retorno desta estética Y2K, que está voltando para além da moda, mas como um escapismo (fuga da realidade, desviar a mente de coisas desagradáveis) dos tempos que temos vivido, seria o resgate de um tempo do qual, nem mesmo a Gen Z desfrutou, mas por sua característica de “cidadãos do mundo” querem viver o período também.

Dizem que a moda é cíclica, que vivemos períodos de altos e baixos, mas as tendências sempre voltam, e a reflexão aqui é, o que consigo resgatar de bacana desta época?

Referências Google

Eu por exemplo, aproveitei muito pouco este período, sempre tive uma barriguinha saliente, e por mais que, eu quisesse parecer as meninas do Destiny Child, o padrão estava o tempo todo me fazendo se sentir, feia, gorda e desconfortável com aquela estética. Mas, eu não me deixei abalar (música motivacional rs) encontrei formas de expressar minhas ideias mesmo assim, se a cintura era baixa, eu usava uma blusa que cobria, e mostrava o que podia destacar em mim, meus peitos rs e assim sucessivamente.

O personagem mais bacana na minha opinião em Euphoria é a Kat Hernandez interpretada por Barbie Ferreira, total body positive, esbanja beleza e segurança na sua vibe dominatrix, e manda um recado claro a todo este resgate, o mundo mudou e, não aceitamos mais protagonismos apenas das coelhinhas do Hugh Hefner, e nem as Angels da Victoria Secret’s, somos múltiplas, com belezas e características individuais e, disso, não abriremos mão, nunca mais!

Kat Hernandez – Imagem retirada do google
Tradução “Eu perdi muito tempo da minha vida, com medo do que as pessoas achavam por eu ser gorda. Mas Honestamente, Danem-se! Não há nada mais poderoso que uma garota gorda que está se lixando!” Ref. Pinterest

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s